Ejaculação Precoce, Ejaculação Bloqueada e outros distúrbios

Os Distúrbios de Ejaculação, como Ejaculação Precoce e Bloqueada, são muito comuns e podem acontecer com qualquer homem, mas possuem tratamento.
Tempo de Leitura: 25 minutos

IMPORTANTE: Os artigos apresentados não pretendem identificar, diagnosticar ou sugerir tratamentos ou medicações para qualquer doença. Os conteúdos foram desenvolvidos apenas com fins educativos e informativos. Sempre procure um profissional habilitado para realizar uma avaliação adequada. Não se automedique.

Uma das primeiras informações mais relevantes a se pontuar sobre os Distúrbios da Ejaculação é que podem ser de causas psicológicas isoladas, causas orgânicas isoladas, ou uma combinação das duas, além de, na grande maioria dos casos, terem cura mediante tratamento adequado. Dito isto, também é importante afirmar que não é algo que acomete somente algumas pessoas específicas, todo e qualquer homem pode, e muito provavelmente terá em algum momento de sua vida, ao menos um episódio de ejaculação precoce.

A ejaculação precoce está presente em todo o reino animal, sendo inclusive essencial para a sobrevivência da espécie. Não fosse a velocidade na inseminação, várias espécies poderiam ter sido extintas, devido ao ataque de seus predadores no momento de desatenção. Esse aspecto também se aplica ao ser humano, porque fala sobre mecanismos biológicos inatos de sobrevivência que são apresentados por emoções como ansiedade e estresse.

Mesmo não sendo um perigo real, o homem pode ter muita ansiedade e agitação antes, durante e depois do sexo, entrando em um mecanismo biológico denominado de “luta ou fuga”, com liberação de neurotransmissores como Cortisol e Adrenalina, que normalmente são liberados em situações de medo e perigo. A liberação deles e o mescanismo de Luta e Fuga acontecem quando percebemos situações, reais ou não, nas quais acreditamos estarmos em perigo ou medo, dilatando as pupilas, aumentando o batimento cardíaco e, principalmente para Ejaculação Precoce e Disfunção Erétil, bombeiam sangue para braços e pernas, assim possibilitando defesa ou corrida.

Essa explicação é especialmente importante porque o humano é um dos animais que dá mais importância ao sexo, transando por prazer e conexão afetiva, diferente da grande maioria do reino animal, que utiliza o sexo somente para a reprodução. Essa diferença primária faz com que o sexo seja simbolizado em muitas culturas e etnias, criando-se assim uma predisposição de relevância, sendo reforçada em sociedade, o que aumenta a percepção de importância do sexo.

Portanto, é importante entender que a dificuldade em chegar ao orgasmo ou mesmo ter ou conter a ejaculação não diz absolutamente nada sobre virilidade, força, resistência ou qualquer outra coisa. Muitas vezes um Distúrbio da Ejaculação fala muito mais sobre um momento difícil nos relacionamentos, trabalho, vida pessoal, financeiro e emocional. Um bom começo então, seria evitar julgamentos sobre si mesmo.

Caso esteja procurando informações sobre Disfunção Erétil, clique aqui para ler um artigo complementar.

Diagnósticos

Primeiramente, faz-se necessária uma breve preparação sobre o que são os Distúrbios de Ejaculação. Não existe, necessariamente, uma correlação entre orgasmo e ejaculação. É perfeitamente possível haver ejaculação sem orgasmo, bem como orgasmo sem ejaculação. Para entendermos melhor sobre isso, existem muitos diagnósticos possíveis, sendo eles:

  • Ejaculação retrógrada
  • Ejaculação dolorosa
  • Ejaculação reflexa
  • Ejaculação astênica
  • Ejaculação bloqueada
  • Anejaculação
  • Ejaculação precoce

Vamos primeiro falar brevemente sobre cada diagnóstico e depois focar com profundidade na Ejaculação Precoce e Ejaculação Bloqueada, diagnósticos mais comuns.

Ejaculação Retrógrada

Uma ejaculação normal acontece quando o esperma é expelido para fora do pênis. A ejaculação retrógrada, entretanto, é caracterizada pelo orgasmo sem líquido seminal aparente. O sêmen pode estar presente, mas não segue o caminho adequado, sendo enviado para dentro da bexiga. Como dito anteriormente, é possível manter o orgasmo, contudo, não haverá ejaculação visível.

A Ejaculação Retrógrada pode ser causada por diversas lesões, seja por cirurgia ou por acidentes (principalmente de moto) com danos ao Sistema Nervoso Autônomo, por Diabetes e Alcoolismo. Além, algumas medicações podem ocasionar temporariamente a doença. Sempre converse com seu médico para averiguar.

O exame mais adequado é realizado por um exame de urina, no qual podem estar presentes espermatozóides, algo incomum em pessoas sem o diagnóstico. Mesmo que o diagnóstico seja confirmado, não é uma doença que causa maiores complicações. Pode, entretanto, ser um problema dentro de um relacionamento, gerando inseguranças e dúvidas sobre prazer e conexão afetiva-sexual.

Ejaculação dolorosa

Basicamente, é a ejaculação acompanhada de dor localizada na região genital, normalmente por espasmos da próstata, ocasionados por inflamações ou infecções, mas também podendo ser causada por infecções na uretra, na próstata ou nas vesículas seminais. A maioria dos casos necessitará do tratamento com urologista e, caso necessário, o acompanhamento com um psicólogo.

Ejaculação reflexa

Presentes em pacientes que tiveram lesão na medula e paraplégicos. É a resposta automática do corpo frente o estímulo sexual, contudo não há controle algum, já que não há sensação corporal. Não havendo agravantes, é possível a reprodução.

Ejaculação astênica

Semelhante à Ejaculação reflexa, pode estar presente em pacientes com lesão medular e paraplégicos. É caracterizada pela falta de força no jato seminal, normalmente por falta de tônus muscular.

Anejaculação

É a impossibilidade em chegar à ejaculação. As causas podem ser orgânicas, não havendo produção do esperma, obstrução das vias espermáticas ou lesões no aparelho genital; ou psicológicas, como crenças centrais negativas sobre a sexualidade, relacionamentos e o próprio corpo. Diferente da Ejaculação Bloqueada, condição situacional na qual é possível a ejaculação com estímulos específicos, na Anejaculação, não há qualquer possibilidade.

Ejaculação Precoce

Segundo o DSM-V, Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais – 5ª Edição (2014), há quatro critérios para o diagnóstico. A Ejaculação Precoce pode ser entendida como o (A)”Padrão persistente ou recorrente de ejaculação que ocorre durante a atividade sexual com parceira dentro de aproximadamente um minuto após a penetração vaginal e antes do momento desejado pelo indivíduo.”Além, (B), é necessário que os sintomas estejam presentes há seis meses ou mais, em todas ou quase todas as relações sexuais (75% ou mais), (C) causando significativo sofrimento, e (D) não ser explicada por outros transtornos físicos ou relacionais.

Portanto, ter ejaculação precoce é algo subjetivo, sendo necessário haver descontrole das sensações corporais e uma resposta emocional desagradável no indivíduo e/ou no casal. Desta forma, entendemos que o “precoce” em um relacionamento pode ser perfeitamente suficiente e satisfatório em outro, considerando as demandas sexuais e a “química” do casal.

A literatura estuda muito o sexo heterossexual, contudo, é possível fazer parelelos com outras orientações sexuais, afim de verificar sintomas que, muito provavelmente, serão os mesmos.

“Para os comportamentalistas, a ejaculação precoce é um hábito adquirido por aprendizagem. Os homens “treinam” para ser ejaculadores precoces. Esse “treinamento” se faz com frequentes relações sexuais apressadas, nos bancos traseiros dos automóveis, em ambientes sem privacidade, em posições inadequadas, com coitos interrompidos […]”

CAVALCANTI, Mabel, CAVALCANTI, Ricardo. Tratamento Clínico das Inadequações Sexuais. 5ª edição. São Paulo: Editora Payá. 2019. p.290

Subtipos

  • Etiologia
    • Com causas orgânicas
      • Constitucional
      • Farmacológica
      • Doenças e Traumas Físicos
    • Sem causas orgânicas
      • Causas Psicológicas
      • Questões conjugais
      • Inabilidade Psicossexual
  • Cronologia
    • Ao longo da Vida: Presente desde o início da vida sexual.
    • Adquirida: Distúrbio se iniciou em algum momento, sendo que antes não estava presente.
  • Fenomenologia
    • Generalizada: Presentes com qualquer parceiro(a), em qualquer posição, estímulo ou situação.
    • Situacional: Presente apenas em situações, locais, posições ou parceiros(as) específicos.
  • Intensidade
    • Leve: Ejaculação ocorre entre 30 segundos e 1 minuto após a penetração.
    • Moderada: Ejaculação ocorre entre 15 segundos e 30 segundos após a penetração.
    • Grave: Ejaculação ocorre antes da relação sexual; ou antes, no início ou logo após a penetração.

Ressalto que as medidas utilizadas têm muito mais importância para pesquisas e estatísticas do que para casos práticos e reais, porque o tempo é algo subjetivo. Alguns casais podem encontrar um sexo curto em duração mas extremamente intenso e estarem satisfeitos com isso. Outros casais, contudo, podem encontrar insatisfação em transas de trinta minutos ou mais. Portanto, é importante avaliar caso a caso.

Causas Orgânicas

Como descrito acima na lista, as causas orgânicas podem ser Constitucionais, Farmacológicas e por Traumas ou Doenças Físicas.

As Causas Constitucionais são condições físicas que acompanham toda a vida sexual do paciente, portanto são inatas, são características biológicas que nascem com o indivíduo e que são perceptíveis desde o início da vida sexual.

As Causas Farmacológicas são incomuns, somente com algumas interações medicamentosas específicas. O mais comum é que, com algumas medicações, o paciente enfrente o distúrbio oposto, a Ejaculação Bloqueada.

As causas por Traumas ou Doenças Físicas estão ligadas às vias nervosas, normalmente presente em doenças neurológicas, como esclerose múltipla, alcoolismo e diabetes; ou acidentes com lesões medulares.

Sem Causas Orgânicas

Quando não há causas orgânicas que possam ser diagnosticadas clinicamente, entende-se que a causa é psicológica e/ou psiquiátrica. A ejaculação precoce pode estar acompanhada e/ou ser causada por um diagnóstico clínico, como Depressão, Bipolaridade, Ansiedade ou Transtorno Obsessivo-Compulsivo, contudo, também pode ser fato isolado devido à situações cotidianas, como estresse ou conflitos no relacionamento.

Comportamentos específicos, geralmente ansiosos, podem desencadear modos de transar que facilitem a ejaculação precoce. Como por exemplo o sexo em locais públicos, nos quais não há nem chance de preparação e excitação, e sim apenas penetração, algo prazeroso para o homem mas nem um pouco para a mulher, que muitas vezes nem tem tempo para se excitar. Outros comportamentos causadores podem estar relacionados ao excesso de preocupação e expectativa sexual. Por vezes a tensão é tanta que a ejaculação acontece antes mesmo de tirar a roupa.

Diagnósticos específicos, como Depressão e Obsessivo-Compulsivo, podem vir acompanhados de inseguranças, dúvidas e incertezas paralizantes, comumente junto com crenças centrais negativas sobre o próprio corpo ou a capacidade de dar prazer para alguém. A Bipolaridade, contudo, pode seguir para outro lado, com comportamentos inconsequentes e perigosos, possivelmente também com pouca noção das sensações corporais, podendo causar a brevidade do sexo.

Os casos específicos com algum transtorno (Depressão, Ansiedade e outros) são também agravados por questões neurológicas, já que há uma deficiência em alguns neurotransmissores, como a Serotonina, e excesso de outros, como o Cortisol. Esse neurotransmissor é especialmente importante no controle das sensações, portanto pode ser chave na compreensão e tratamento.

Conflitos Conjugais

Quando utilizo o termo “conflito” não quero remeter apenas à discussões e embates dentro de um casal, mas também desentendimentos e incompreensões do que é prazer, orgasmo, satisfação e diferenças de necessidade e profundidade de conexão sexual. Casais que não comunicam abertamente e assertivamente suas necessidades sexuais acabam tentando descobrir o corpo um do outro por tentativa e erro. Esse é um enorme problema, porque cria um padrão de transa, seja em quantidade ou qualidade, que tende a se manter, justamente por não haver diálogo aberto.

Casais com essas questões normalmente são formados por indivíduos que já possuem pré-definições ambivalentes sobre a sexualidade. Ao mesmo tempo que querem ter prazer, acabam por não conseguir comunicar como se satisfazem, esperando que o parceiro(a) descubra sem guia algum ou saiba naturalmente.

Cabe aqui uma pergunta, a causa da ejaculação precoce pode ser pela química do casal? Apesar de não ser fácil ou preciso definir uma resposta, é sim possível que uma grande atraçao sexual possa causar a condição. Contudo, se for um quadro situacional, e não constitucional, o tratamento pode ser realizado com um ajustamento do casal e da relação sexual, quanto forma, velocidade, ritmo, ansiedade e outras variáveis, podendo melhorar o quadro.

Portanto, o casal que tem conflitos conjugais pode estar desbalanceado. Um dos parceiros procura seu próprio prazer, ejaculando rápido, e acha que está satisfazendo a parceira, mas, como pode não haver abertura de diálogo, o sexo se mantém voltado ao prazer masculino, rápido para um, insuficiente para outro.

Temor de Desempenho (ou Ansiedade de Desempenho)

Muitos homens, e casais, definem, por meio de percepções sociais e senso-comum, padrões de sexualidade irreais (muitas vezes por conhecerem/conversarem pouco sobre sexo ou mesmo assistirem à performances irreais de sexo, como na pornografia). Esses padrões disfuncionais criam uma crença de forma de transar, penetrar, aprofundar e manter o sexo.

Dessa forma, a pessoa acredita que há um caminho correto para a satisfação sexual e que, caso não siga essa forma, que pode ser classificado como alguém que “transa mal”. Essa crença pode levar ao Ciclo da Falha Sexual, uma sequência de pensamentos e situações que culmina na frustração.

Senso-comum nunca é uma boa ideia quando se fala sobre sexo saudável. Cada corpo e cada relação é diferente. O que funciona com uma pessoa pode não se suficiente para outra, ou mesmo não ser interessante. Cada pessoa e casal deve criar seu próprio modo de transar.

Inabilidade Psicossexual

Inabilidade Psicossexual pode ser descrita como uma dificuldade na conexão entre mente e corpo, com pouca habilidade sensorial do tato, ou mesmo com excesso de sensibilidade. Em outras palavras, é não conseguir perceber as sensações e/ou controlar o próprio corpo na iminência do orgasmo. É comum que, nesse caso, se preste muita atenção no corpo do outro, mas pouco nas próprias sensações, perdendo o controle delas.

Um exemplo ilustrativo pode ser o homem que, possivelmente muito excitado pelo sexo e/ou parceira(o), acabe por transar com muita velocidade e força, não aproveitando o sexo, limitando muito o envolvimento.

Outro aspecto que pode desencadear a ejaculação precoce é a excitação por estímulos específicos. Alguns fetiches, posições sexuais, relações de poder, BDSM, e outras práticas podem ser muito excitantes para algumas pessoas. Uma prática específica, por exemplo, pode ser o Sexo Oral, erotizado e desejado, criando assim uma percepção de super excitante, podendo ser motivo para uma ejaculação bem mais rápida caso não haja controle do próprio corpo. Esses estímulos podem ter fundação ou agravamento devido ao consumo de pornografia.

Pornografia

A pornografia pode ter papel crucial na ejaculação precoce. Isso porque o performático e irreal presente nos vídeos não mostra nada sobre um sexo verdadeiro com uma pessoa. O pornô pula rapidamente da primeira cena de uma troca de olhares para o sexo penetrativo, sem nem mesmo ter mostrado os, imprescindíveis e necessários, estágios de excitação.

Não suficiente, o usuário de pornografia sabe muito bem o que mais lhe excita, procurando o vídeo específico mais atraente e pulando direto para a parte do vídeo que quer ver, acabando por gozar rapidamente. Transar com uma pessoa de verdade demanda habilidades e atenção em níveis bem diferentes dos presentes no pornô. A relação pornográfica não pode ser transposta para a vida real, porque demonstra práticas e ângulos que são prazerosas apenas para o homem, ignorando a mulher, criando um meio de satisfação exclusivo e muito estreito.

Em outras palavras, a pornografia é muito apelativa, muito mais que um sexo real. Isso acaba por afunilar cada vez mais a satisfação sexual, então o que poderia ser extremamente prazeroso, acaba por ser algo “sem graça”, nos moldes de quem espera encontrar uma atriz pornô insaciável em sua frente. Comportamentos presentes no pornô podem, portanto, reforçar o prazer rápido, presente na ejaculação precoce.

Falocentrismo

É importante também ressaltar que o sexo, em senso comum, é muito voltado para a penetração. Isso é um erro. O sexo começa muito antes da penetração e termina muito depois do orgasmo. Primeiramente, a mulher costuma demorar mais para se excitar e, mesmo depois da excitação, a mulher não se satisfaz com a penetração, sendo necessárias outras práticas antes, durante e depois, como a conquista, o contato físico, a excitação, sexo oral, afeto e muitos mais.

Aliada à pouca educação sexual, homens e mulheres costumam ter dificuldade em explicar o que gostam, como gostam, em que velocidade, ritmo e profundidade. Quando explicam ainda há os que não sabem ouvir ou se sentem ofendidos, perdendo uma ótima oportunidade de aprender algo novo.

Dessa forma, se cria uma prática muito voltada para o orgasmo masculino, por vezes rápido e certeiro, em detrimento do feminino, apagado e insatisfeito.

Consequências

O aspecto psicológico do homem com ejaculação precoce pode ser impactado por crenças disfuncionais sobre sua masculinidade, virilidade, corporalidade, força, e tantas outros aspectos, os quais obviamente não tem relação direta. Como já dito anteriormente, todo e qualquer homem pode, e muito provavelmente terá, ejaculação precoce, ao menos uma vez na vida. É importante saber perceber seu próprio corpo, sensações, relacionamentos e gatilhos, para identificar o causador e procurar tratamento adequado, assim evitando agravamento das percepções negativas sobre si mesmo.

Quanto ao relacionamento, é comum que a(o) parceiro(o) inicialmente seja mais racional e compreensivo, procurando respostas para a ejaculação precoce do parceiro de forma a se contentar com a situação e acreditar que é algo passageiro. Mas, com a recorrência, a condição se torna mais incômoda.

As consequência em casais, podem ser o afastamento sexual, evitando ao máximo a relação para não lidar com a frustração; compensar a pouca duração da relação sexual com a quantidade de tentativas, sendo que o homem, por saber que não satisfaz, tenta muitas vezes, podendo gerar desconforto, cansaço e exaustão na(o) parceira(o); outros, acabam por procurar relações extraconjugais.

Como homens costumam ter receio de procurar ajuda especializada, a ejaculação precoce pode se manter por longos períodos, até parecendo ser algo parte das relações sexuais.

Tratamentos

Como a ejaculação precoce vem sendo cada vez mais identificada na sociedade, cada vez mais agitada e ansiosa, apareceram muitos tratamentos ineficazes com remédios milagrosos por aí. Desde comprimidos até cremes, sem comprovação científica ou prática alguma na eficiência do tratamento e, ainda pior, sem autorização alguma dos órgão reguladores, sendo vendidos pela internet sem receita, enganando ao prometer resultados, que obviamente nunca vem.

Portanto, o primeiro a se fazer é não se desesperar. Não saia correndo atrás de medicações na internet e não se automedique. Primeiro procure um Urologista e um Psicólogo para fazer uma avaliação correta do quadro. Um bom psicólogo com especialização em sexualidade será capaz de orientar e apoiar o homem e o casal para que seja esclarecida a causa e a forma de tratamento. Isso é especialmente importante, porque fará muita diferença na evolução do quadro.

O atendimento com o Urologista é para afastar causas biológicas, ele fará uma avaliação para ter certeza de que não há qualquer causa neurológica ou fisiológica. Descartadas as causas físicas, tratamento psicológico por meio da Terapia Cognitivo-Comportamental será o mais eficiente tratamento.

O tratamento se dá por meio de sessões dialogadas com frequência semanais, para possibilitar que o paciente descreva as situações que passou, seus pensamentos, sentimentos, sensações e identifique os causadores da ejaculação precoce. Dessa forma, é possível que sejam estabelecidas técnicas e mudanças de comportamentos para melhora do quadro. Além, pode ser necessária a intervenção medicamentosa, a qual deve ser realizada por um Psiquiatra, para controlar ansiedade e sensações físicas.

Resistências ao Tratamento

Como é uma condição que envolve sentimentos complexos e confusos, infelizmente é comum que os homens venham ao tratamento desesperados e, quando não entendem que a progressão costumam ser lenta, acabam abandonando o tratamento. Mudanças verdadeiras tomam tempo. É necessário perseverar. Durante toda uma vida ou relacionamento se aprendeu uma forma de transar, isso não muda em duas ou três sessões.

Há também aspectos favoráveis dentro do casal. Apesar de parecer controverso e estranho, alguns casais se beneficiam da Ejaculação Precoce. Por vezes a(o) parceira(o) não se sente com vontade de transar, não gosta ou não tem motivação para acompanhar o tratamento, sabotando o progresso, preferindo que a ejaculação seja rápida mesmo.

Além, é necessária motivação para o tratamento, então o casal deve se apoiar, fazer as tarefas de casa, procurando dialogar, não faltar às sessões de terapia, treinar e ser compreensivo, já que o tratamento pode durar por alguns meses e, eventualmente, podem acontecer casos isolados de ejaculação precoce novamente, o que não significa um retrocesso, mas sim algo que faz parte do processo de mudança.

Ejaculação Bloqueada

Também conhecida como Ejaculação Retardada, de forma sucinta, a Ejaculação Bloqueada é o contrário da Ejaculação Precoce. É uma condição que acontece pelo excesso de controle do próprio corpo e suas sensações, inibindo o prazer, o orgasmo e a ejaculação. A condição pode se apresentar de forma situacional ou contínua, ou seja, pode ser algo passageiro, ou mesmo presente somente em alguns relacionamentos, ou ser algo mais abrangente.

É importante fazer uma diferenciação com outros distúrbios, porque o homem com Ejaculação Bloqueada Leve exerce o excesso de controle quando há penetração, mas costuma conseguir ejacular normalmente fora da penetração, com sexo oral ou masturbação, por exemplo. Nos casos graves, contudo, pode ser difícil alcançar a ejaculação com qualquer estímulo, sozinho ou acompanhado.

Causas

As causas podem ser orgânicas e/ou psicológicas. Quanto ao biológico, pode ser causada por medicações específicas; por algumas drogas lícitas, como o álcool, e ilícitas; bem como algumas cirurgias ou acidentes que causem danos à região genital.

As causas psicológicas são as mais comuns. Pode ter origem na falta de educação sexual; no punitivismo e rigidez moral ou religiosa; em conflitos conjugais; em medo de engravidar; e em traumas sexuais.

Criação rígida com exigência moral e ética, pode estabelecer modos de sexualidade corretos e incorretos, gerando tensão no homem, podendo lhe inibir, com a singular percepção de uma exposição, punição ou falha moral.

Casais podem estar em conflito e o sexo ser diretamente impactado, diminuindo a conexão do casal e a excitação, diminuindo a vontade ou aumentando o controle da ejaculação. Por vezes também há medo de engravidar, por um ou ambos, o que aumenta a tensão. Esse último exemplo seria facilmente resolvido pelo uso constante de preservativos, mas a pouco educação sexual pode atrapalhar nessa resolução.

Tratamentos

Semelhante ao tratamento adequado para Ejaculação Precoce, o ideal é o acompanhamento com um Urologista, bem como o tratamento psicológico, por meio da Terapia Cognitivo-Comportamental. Em casos leves, é comum que o tratamento surta efeito depois de algumas sessões. Em casos mais graves, principalmente nos quais a ejaculação não é possível nem na masturbação, podem ser necessário mais sessões de terapia, aprofundando todo o histórico de vida sexual do paciente,

Resumindo

Vivemos em uma sociedade que valoriza o desempenho, o extraordinário, a satisfação e o sexo de formas que acabamos por guiar nossos costumes pela sexualidade. Consumimos e vivenciamos a sexualidade diariamente, seja nas relações conjugais, nas relações de poder, no narcisismo, nas fantasias, no dinheiro. Todos os lados que olhamos temos estímulos sexuais, nas propagandas, nas redes sociais, nos encontros e na vida a dois.

Tamanha a importância que o humano deu ao sexo fez com que emergicem com força os diversos distúrbios, dentre eles o Distúrbios de Ejaculação. Atrelado a isso, o homem também costuma lidar muito mal com as próprias inseguranças, escondendo de si mesmo suas frustrações e sentimentos. Esses acúmulos podem gerar consequências físicas e psicológicas.

Existem muitos distúrbios que podem acometer pessoas com pênis, sendo por vezes difícil encaixar um diagnóstico específico, mas, na vida conjugal, o distúrbio aparece de formas muito evidentes e contundentes, demandando tratamento e perseverança do paciente e casal.

Referências

  1. CAVALCANTI, Mabel, CAVALCANTI, Ricardo. Tratamento Clínico das Inadequações Sexuais. 5ª edição. São Paulo: Editora Payá. 2019.
  2. Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais: DSM-5. 5ª edição. Porto Alegre: Artmed, 2014.
  3. MEYER. Tratamento Clínico dos Distúrbios Sexuais. Manole, São Paulo, 1997.
  4. MASTERS; JOHNSON. – Human Sexual Inadequancy. Little, Boston, 1966.
  5. KAPLAN. O Desejo Sexual. Ed. Nova Fronteira, Rio de Janeiro, 1983.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
WhatsApp
Telegram

Bruno Mello

Psicólogo e Sexólogo | CRP 08/24273 e CRP 08/02076
Atende no consultório particular de psicologia desde 2016, estuda relacionamentos, sexualidades, cognitiva, neuro, psiquiatria e outros assuntos. Gosta muito de cinema, arte, cultura e assina (quase) todos os serviços de streamings.

Você pode me seguir ou chamar nos links abaixo:

Outros Artigos

Relacionamento sem sexo
Vocês são casados ou namoram há bastante tempo e o sexo começa a ser menos frequente. O que fazer?
12 minutos de leitura
Cachorros não usam calças
“Cachorros não usam calças” é um filme finlandês que conta o drama de um homem que perde sua esposa, sofrendo por anos em um ciclo de Depressão e Luto.
17 minutos de leitura
Insonia e Higiene do Sono
Distúrbios do Sono, como Insônia, podem trazer diversos danos fisiológicos e na saúde mental e relacionamentos.
14 minutos de leitura
Misofonia
Misofonia é uma condição desencadeada por sons específicos que pode afetar fortemente o convívio social e saúde mental dos portadores.
10 minutos de leitura
Depressao (1)
Depressão é um Transtorno de Humor muito debilitante mas que possui tratamento e cura.
10 minutos de leitura
filmes da psicologia
Lista com os melhores séries e filmes da Psicologia, com sinopse e indicação de temas principais.

Utilizamos cookies para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais, consulte nossa política de privacidade e termos de uso. Ao continuar navegando em nosso site, você concorda com a nossa política.