Transtorno de Ansiedade Generalizada

O que é Ansiedade? Quais são os sintomas, as causas e os tratamentos mais eficientes e indicados? Existe cura ou apenas tratamento?

O que é Ansiedade Generalizada?

Transtorno de Ansiedade Generalizada, ou apenas TAG, caracteriza-se por um comportamento de aceleração de pensamentos e fisiologia, marcado por um excesso de preocupações e dificuldade de relaxar. Além disso, é comum um pensamentos negativo, chamado de antecipação negativa.

Pode ter associação, e influência de início, por uso de substâncias lícitas e ilícitas, como álcool e drogas, mas também Depressão Maior Pânico.

Dados Estatísticos

O Transtorno de Ansiedade Generalizada é considerado comum, atingindo cerca de 3% da população mundial. Não somente, é um transtorno mais comum em mulheres do que em homens. Na maioria dos casos inicia-se na adolescência, contudo pode ter início em qualquer idade.

Diagnóstico

A supracitada característica de preocupações não é exclusividade da Ansiedade, desta forma é necessário um diagnóstico diferencial. Também está presente em Fobias, Pânico, Depressão e outros transtornos.

As preocupações variam de graduação e frequência, sendo apresentadas em assuntos simples e cotidianos, como trabalho, família, saúde e outras preocupações reais, até as preocupações irreais. As ditas preocupações irreais são aparentemente desconexas e insistentes, as quais podem fazer muito sentido para o ansioso, mas que não são justificáveis para os outros. Um exemplo é a preocupação constante com excesso perante limpeza, rituais de fala, costumes, rotas e outras manias ou superstições.

A doença é flutuante e comumente crônica, ou seja, o indivíduo pode melhorar e piorar frequentemente. Muitos pacientes diagnosticados com TAG possuem comorbidades, como Transtorno Depressivo Maior, Síndrome do Pânico, Fobia Social e outros.

Para um diagnóstico adequado de TAG, os sintomas devem estar presenta há, no mínimo, seis meses, além de apresentar três ou mais dos seguintes sintomas:

  • Agitação e sensação de nervosismo ou tensão
  • Cansaço constante
  • Dificuldade de concentração e manutenção de foco
  • Irritabilidade
  • Dor e tensão muscular
  • Alterações de sono
  • Alterações de apetite

Contudo, é importante ressaltar a necessidade do exame físico, para excluir, por exemplo, diagnósticos de hipertireoidismo, uso de medicações e drogas e outros.

Tratamento

A Psicoterapia é essencial para o tratamento do Transtorno. Recomenda-se, entretanto, em casos específicos, o uso de Psicotrópicos, como o ISRS (Inibidor Seletivo de Recaptação de Serotonina) como o Escitalopram, ou o ISRN (Inibidor Seletivo de Recaptação de Serotonina e Noradrenalina) costumam ser muito eficientes, porém demandam algumas semanas para efetividade.

Outras medicações, como Benzodiazepínicos (ansiolíticos)  já em pequenas doses costumam ser efetivos, contudo podem viciar. Este vício se dá não apenas pela fisiologia e funcionamento cerebral do indivíduo, mas também pela preocupação exacerbada de alguns pacientes com a própria piora, agravada pelo característico pessimismo do ansioso. Desta forma, para não piorar, ou para evitar um surto, o paciente se medica antecipadamente, criando um vício.

Referências:

1. Manual MSD – Transtornos Ansiosos
2. Manual Diagnóstico e Estatístico dos Transtornos Mentais – DSM – V. Artmed, 2013.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
WhatsApp
Telegram

Utilizamos cookies para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais sobre o uso de cookies, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando em nosso site, você concorda com a nossa política.